RSS

Palma

17 set
Palma

Palma

Sede do Concelho de Palma, Cabo Delgado. A povoação foi criada pela portaria nº 35 em 17 de Janeiro de 1889. Foi inicialmente designada por Tungue.

Palma deve o seu nome ao oficial que era Governador do distrito, tenetne coronel de cavalaria, José Raimundo Palma Velho que ajudou a conquistar a baía de Tungue ao Sultão de Zanzibar, em 1887.

Palma perto do topo da baía de Tungue, situa se na margem ocidental do monte Mnangani, acerca de uma milha de entrada. Na época existia um posto militar, Alfândega, casas de europeus e palhotas.

IGREJA DE PALMA

IGREJA DE PALMA

Alfândega de Palma

 

Baía de Tungue

 
 
 
 

Estrada Mocímboa da Praia - Palma

Anúncios
 
14 Comentários

Publicado por em 17 de setembro de 2011 em Palma

 

14 Respostas para “Palma

  1. santos costa

    14 de novembro de 2012 at 20:15

    Fui militar em Palma, em 1966 a 121967. Voltei em 2004 e 2005. Emocionante.

     
  2. francisco santos

    7 de outubro de 2013 at 23:42

    Fui guarda fiscal em palma no dia 25 de abril de 1974, No dia seguinte fui almoçar com um comandante da Frelimo( a minha esposa estava em LMarques); Eu estava só em palma; O almoço decorreu bem (arroz branco não sei com quê, já não me lembro; fui bem tratado), Depois do jantar até me levaram a um batuque lá num bairro de palma; bela terra, grande praia de mariscos, palmeiras, boa gente!…

     
    • Antonio condeco

      27 de dezembro de 2013 at 23:23

      No edificio da guarda fiscal morei la eu furriel mil da comp.eng.3530 que esteve la a construir o cais acostavel.Isto veificou se na altura do rebentamento das minas na estrada para quionga sendo o famoso nessa altura alferes carvalho dos gees o causador da morte de outro alferes.Passavam as comunicacoes para os familiares na metropole pelo radio da guarda fiscal.Nessa foi um acontecimento muito triste e lamentavel, sendo o falecido uma optima pessoa.Sabia o nome mas ja nao me recordo e que era natural do norte,ainda cheguei a falar pelo radio com familiares , ainda me coube a mim por ser de eng. e ter la maquinas ir reparar o pontao na estrada para quionga, as minas a frente da pa da maquina eram mais que muitas, mas felismente ficaram todas la enterradas e nao rebentou nenhuma.Palma belissima praia muito peixe e marisco.Bons tempos.

       
    • Francisco José Domingues Correia (o Coimbra)

      28 de maio de 2017 at 12:25

      Estive em palma em 1972/1974 no p.a.d 9773 como condutor auto,o local onde a guarda fiscal estava era encostada ao P A D na qual fazia parte o guarda fiscal Rodrigues grande amigo,e grande jogador de futebol,fazia parte da nossa equipa,convivia imenso com a nossa malta,o que é feito dele.

       
  3. francisco santos

    3 de janeiro de 2014 at 2:14

    Mas depois do 25ABR74 ainda pra lá foram fazer o cais acostável?. Um abraço.

     
    • Antonio Condeço

      21 de novembro de 2014 at 19:10

      Nao o cais acostável foi feito em 1972.

       
  4. Antonio Condeço

    2 de março de 2015 at 21:15

    Nao podemos esquecer a senhora mais famosa de Palma “DONA AIDINHA”.Foi cozinheira do Craveiro Lopes,quando esteve la.

     
    • Francisco Correia (Coimbra)

      1 de junho de 2017 at 7:52

      quem esteve em palma não esquecerá a ” Dona Aidinha” assim como o bar do SERRA, e as monhês que faziam umas chamusas maravilhosas, não esquecendo o Luís Maconde que era nosso coloborador ( maináto ) no P A D /9773,sobre a praia que maravilha muinto carangueijo apanhei,garoupa,raia etc.que saudades

       
      • António Condeço

        11 de junho de 2017 at 16:22

        Vou aqui falar de 2 casos que se passaram em Palma em 1972.O 1º,íamos à pedra para fazer o cais acostavel e era arrancada e partida por máquinas de rasto e pás carregadouras,isto na praia a caminho de Quionga,com a maré vazia e depois carregada em basculantes para o cais.Acontece que um dia ao se carregar a pedra um enorme carangueijo foge de um dos montes para outro,vou a correr atráz dele e ao mandar-lhe um pontapé,o dito ferra.me uma tesourada com uma das patas que me rasgou a bota de lona que usávamos,tendo-me apanhado entre o dedo grande e o a seguír ficando a perna presa na bota e o resto do corpo foi parar longe.Apanhámo-lo e deu um valente alguidar de carangueijo,para vários comermos.Tinha vários kg,nunca comi marisco mais saboroso.
        Podem pensar que isto são fenómenos do Entroncamento,mas não, são verídicos.Ainda vou contar um outro caso.Certo dia um pescador local,a cerca de 300 m de terra e em frente ao depósito de material de Eng.no canal que ficava quando a maré vazava,vínha num barco que usavam (tronco de madeira) já em direcção a terra,víu o enorme vulto tinha um ferro atado a uma corda,tipo arpão e lança-o,e imediatamente a canoa começa a ser arrastada,dá-lhe corda e começa a gritar.O pelotão da intendência ficava ao lado do dep.Eng e por ser à hora de almoço,havía por ali pessoal.Pensaram em levar o chamado “PINCHA”,lembram-se e o pescador sempre a dar corda ao bicho e a fugir para terra.Os soldados prendem a corda feita de palha entrelaçada ao “PINCHA” e vá de puchar,foi a sorte do pescador e a nossa.Era uma garoupa que pesou 438 kg.O Vagomestre da companhia ficou com ela por ordem do administrador,que fazía o negócio e dava uma ligeira compensação ao pescador.Lembram-se daqueles “PINCHAS” que tinham uma câmara frigorifica,pois ficou com as prateleiras completamente cheias daquela maravilha muito branquinha.Deu enormes bifes.Isto passou-se mesmo em Palma e em 1972.

         
  5. Mário Silva

    11 de março de 2016 at 18:16

    Também estive em Palma de Agosto/73 até finais de Outubro/74, pertencia à C.C.S do Bat. 5013, na qual estávamos adidos á companhia de Palma, para efectuarmos colunas de reabastecimento a Pundanhar-Muidine e Nangade, se alguém esteve comigo me contactem. Mário Silva.

     
  6. Joao Antonio Mota Asseiceiro

    29 de janeiro de 2017 at 20:56

    Notável o comentário respeitoso e prudente do camarada António Condeço.

     
    • Lugares de Moçambique

      28 de abril de 2017 at 4:04

      Caro Condeço.
      Caso queira deslocar se às zonas por onde passou e como tenho muitos contactos e conhecimentos por aqui poderei organizar. Podem contactar me para qualquer informação.
      Cumprimentos.
      Amílcar Martins

       
      • António Condeço

        29 de abril de 2017 at 20:23

        Era ideia de irmos visitar a Beira,Porto Amélia,agora Pemba,Mueda,Nangade e Vila Gouveia.Como seria a viagem,de 10 a 15, o seu custo etc,todos os dados para uma viagem em segurança.Fico a aguardar.Obrigado.

         
  7. António Condeço

    27 de abril de 2017 at 22:51

    Não é um comentario mas sim uma pergunta:Se por acaso alguem tem conhecimento da maneira de nos deslocár-mos a essas zonas onde passamos 24 meses em combate.Há pessoal da CENG.3530 interessada em se deslocar lá,desde muito obrigado.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: